sexta-feira, 23 de novembro de 2012

As Doze Pedras da Edificação Espiritual




"O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que confessa e deixa alcançará misericórdia". (Provérbios 28:13).

Existem muitos crentes dentro das igrejas que participam da Ceia do Senhor indignamente, elas estão escondendo algum pecado algo que desagradável aos olhos do Senhor, e estão condenando a si mesmo a perdição eterna (1º Coríntios - 11:29-30). Muitos pensam que encobrindo os seus pecados da sua família, amigos e irmãos de igreja estarão seguros, mais, nada pode ser escondido de Deus (Provérbios - 15:3), porque ele é soberano e sabe de todas as coisas.
A confissão do pecado é algo difícil dentro das igrejas muitos tem medo do que os outros vão pensar, outros já se acostumaram com o pecado e não querem mudar por acharem que depois de tanto tempo fazendo a mesma coisa Deus já os perdoou e não considera o seu ato mais como pecado... Enganadas estão essas pessoas, o pecado continua sendo pecado e não irá mudar simplesmente porque você o comete a cinco, dez ou quinze anos. A única maneira de deixar de ser pecado é com o arrependimento e a confissão, arrependendo – se e confessando alcançara o perdão de Deus e a purificação do Senhor Jesus para nossas vidas (1º João 1:9).
Esse artigo tem o intuito de alertar essas pessoas porque sabemos que elas também precisam de Deus, e se você se encontra nessa situação e quer mudar, voltar para o caminho certo e continuar a sua caminhada para o céu confesse o seu pecado e sofra as consequências necessárias para receber a sua vitória das mãos do Senhor.

Um comentário:

Cristiane dos Santos disse...

A confissão dos pecados na minha opinião não deve ser feita somente no que antecede a santa ceia, mas o tempo todo. Por que só através da confissão que o homem se liberta dos seus antigos e atuais pecados e assim não os comete mais. Participar do corpo e do sangue de Cristo nada mais é do que ser participante das aflições, lutas e batalhas espirituais, porque nossa luta não é contra a carne e sangue mas contra as hostes espirituais, principados, etc. Mas como ser participante das aflições um dos outros se cada um vive a sua vida de maneira individualista e egoísta. É isso que é tomar a ceia indignamente. Só a purificação dos pecados na comunhão, e viver em comunhão é ter a cara descoberta.